Go to Top

Saúde Visual

É muito fácil deixarmos de lado a saúde de nossos olhos, mesmo sabendo que a visão é o sentido mais importante em nosso dia a dia. O cuidado com a saúde dos olhos muitas vezes acaba ficando em segundo plano – ou até mesmo passando despercebido, o que é ainda pior.

É ótimo poder enxergar 100%, mas uma visão saudável é muito mais do que isso. Os raios UV, a claridade incômoda e a fadiga ocular são desafios diários que os nossos olhos têm de enfrentar.

A importância da Visão

O corpo humano tem cinco sentidos principais, todos são importantes, mas a visão é o sentido que domina a nossa vida. Quatro quintos de todas as informações recebidas pelo cérebro chegam-nos através dos olhos.

A importância da visão é tão grande que supera a de todos os outros sentidos. Muitas vezes fechamos os olhos para nos concentrarmos na audição como, por exemplo, para escutar uma musica.

Os seres humanos têm boa visão, se compararmos com outros animais. Alguns animais só conseguem ver claro ou escuro, como a mosca, apesar de ter milhares de olhos minúsculos espalhados pelo corpo. Já o touro, só enxerga preta, branca e tons de cinza. Portanto, a cor da capa que o toureiro agita, não faz diferença, o que irrita o bicho é o movimento.

Podemos comparar o olho com uma máquina fotográfica, onde a luz entra no olho através da pupila formando a imagem de cabeça para baixo na retina, assim como a luz entra na câmera através da lente formando a imagem de cabeça para baixo no filme.

O olho humano é um órgão frágil e muito complexo. Um olho saudável vê bem quando há luz forte ou fraga. É também capaz de detectar cores diferentes e ver com clareza objetos que estão perto ou longe.

O bom funcionamento do olho se dá através da lágrima que é produzida pelas glândulas lacrimais, que evita o ressecamento do olho e remove as partículas de poeira.

Agora, imagine se todos os seres humanos tivessem nascido cegos e mesmo assim sobrevivido. Não haveria cinema, televisão e computador. Você já pensou? É difícil de imaginar como seria o mundo, pois imaginar é criar imagens. Portanto, é necessário cuidarmos bem dos nossos olhos.

Campo visual e Perimetria

Campo visual é a porção do espaço em que o olho imóvel, em posição primária, pode perceber. Objetos grandes e brilhantes podem ser vistos na periferia do campo de visão: objetos pequenos e/ou opacos, só se estiverem próximos ao eixo visual. Perimetria é o método que utiliza um aparelho manual ou computadorizado para medir o campo visual. Através da perimetria computadorizada é possível determinar, com maior precisão, os valores de sensibilidade do campo visual de pessoas normais, que servirão de padrão para identificar doenças neuroculares que alteram. O método é também, muito importante no seguimento de condições mórbidas progressivas que agridem o sistema neurocular e para avaliar a eficácia do tratamento de algumas enfermidades.

O que é Catarata?

Catarata é a opacificação do cristalino. O cristalino é uma lente biconvexa, transparente, que fica atrás da pupila. A catarata dificulta a chegada dos raios luminosos na retina. Algumas pessoas confundem pterígio com catarata, mas pterígio é uma alteração da conjuntiva que cresce em direção a córnea, é uma alteração na superfície ocular. Catarata é a causa mais comum de cegueira, passível de tratamento, no mundo.

Sintomas:

O portador de catarata pode se queixar de fotofobia (dificuldade com luz), deslumbramento (ofuscamento), diplopia (visão dupla), imagem fantasma ao redor de objetos, dificuldade visual para perto e para longe, principalmente em ambiente com muita ou pouca luz. As pessoas com mais de 50 anos tem maior risco de ter catarata. Alguns pacientes idosos com catarata podem ser capazes de ler novamente sem óculos, por causa da miopia causada pela própria catarata. Embora a catarata seja muito mais comum no idoso, ela pode estar presente até mesmo no nascimento. Cerca de 1/3 das cataratas congênitas podem ser hereditárias.

Retinopatia Diabética

Se você tem diabetes, é importante saber que hoje em dia, devido a melhores métodos de diagnostico e tratamento, apenas uma pequena porcentagem de pessoas que desenvolveram retinopatia têm problemas sérios de visão. A detecção precoce da retinopatia diabética constitui a melhor proteção contra a perda de visão.

Você pode reduzir de maneira significante o risco de perda de visão mantendo um controle rigoroso do nível de açúcar no seu sangue e consultando regularmente seu oftalmologista.

Quando marcar um exame

As pessoas portadoras de diabetes devem marcar exames de olho com dilatação da pupila pelo menos uma vez ao ano. Exames mais freqüentes feitos por um oftalmologista podem se fazer necessários depois de diagnosticada a retinopatia diabética.

Retinopatia Hipertensiva

A hipertensão arterial é uma doença extremamente comum no idoso, pode causar uma diminuição da visão. Geralmente a parte mais afetada do olho é a retina, a doença de retina causada pela hipertensão arterial chamada de retinopatia hipertensiva, e a doença do nervo óptico nos casos mais severos podem também causar baixa de visão nestes pacientes. As alterações permanentes da visão por causa da hipertensão incluem, ainda, o crescimento de novos vasos sangüíneos anormais na retina e o desenvolvimento do glaucoma. A angiografia com fluoresceína é outro exame que auxilia o oftalmologista a determinar a extensão da lesão e o melhor plano terapêutico para cada paciente. Em muitos casos, o tratamento com laser pode ser utilizado para destruir os vasos sangüíneos anormais (fonte Virgilio Centurion)

Daltoismo

O que é?

É uma alteração da visão que faz com que a pessoa tenha dificuldades – em menor ou maior grau – de fazer a distinção entre cores, principalmente o verde e o vermelho. Há os que tem problemas com o azul e também existem os que não tem a percepção de todas as cores, enxergando apenas em preto e branco ou tons de cinza, mas esses casos são minoria. O daltonismo é resultado de um defeito na retina, a parede do fundo do olho. Esse defeito afeta as células responsáveis pela percepção das cores (os cones). Como conseqüência, a pessoa deixa de ver – ou não vê com precisão – determinada cor. Estima-se que 8% da população sejam portadoras de daltonismo, a grande maioria homens (as mulheres não passam de 1% deste total.

O daltonismo é um transtorno hereditário, é uma herança genética dos pais.

Há vários tipos de daltônicos

O mais comum é o grupo de pessoas com dificuldades para o vermelho-verde, e este grau de percepção é bastante variado. Há os com problemas com azul-amarelo, mas estes são bastante raros. Importante ressaltar que nenhum dos portadores destes tipos de daltonismo mostra-se totalmente incapaz de identificar ima ou outra cor. Eles as percebem de maneira diferente e o grau desta diferença varia muito de pessoa para pessoa. Existe, porém uma forma mais severa denominada de acromatopsia, a inabilidade para ver qualquer cor. Especialistas costumam chamar a atenção para o fato de que ninguém – seja daltônico ou não – enxerga exatamente igual ao outro.

Glaucoma

O glaucoma é causado por diferentes enfermidades que, na maioria dos casos, levam a um aumento da PIO. O aumento da pressão é causado por um bloqueio ao fluido no interior do olho. Com o tempo isto causa dano ao nervo óptico. Através da detecção precoce, diagnóstico e tratamento. (Fonte: www.drqueirozneto.com.br)

Alguns fatores de risco para o surgimento do glaucoma são:

pressão intra-ocular (é o fator mais importante)

idade (a pressão intra-ocular aumenta com a idade)

raça negra (o glaucoma é mais comum e mais grave na raça negra)

diabetes e hipertensão arterial sem tratamento e

historia familiar de glaucoma

Observações importantes

1. O glaucoma pode ocorrer em qualquer idade;

2. Na maioria dos casos, o glaucoma é uma enfermidade sem sintomas e, portanto o diagnostico é achado de exame oftalmológico e não um motivo para consulta, por isso ninguém deve esperar ter sintomas de glaucoma para fazer um exame oftalmológico;

3. Leve o seu filho ao oftalmologista com 1,3 e 6 anos de idade e depois a cada 3 anos, mas se observar qualquer anormalidade nos olhos dele, é bom que eles seja examinado pelo oftalmologista o quanto antes. O sistema visual se desenvolve desde o nascimento ate 7 anos. Neste período os pais, os professores e os médicos precisam estar atentos. Este cuidado é necessário não só por causa do glaucoma mas também por causa de outras alterações;

4. O glaucoma é uma doença que precisa de controle a vida toda, se adequadamente tratado, o portador de glaucoma terá a visão preservada por toda a vida, mas o contrario pode perdê-la de maneira irreversível.

Degeneração Muscular

A Degeneração Muscular é uma condição médica geral dos adultos mais velhos, é uma lesão que acomete a mácula, uma pequena área no fundo do olho que permite enxergar claramente pequenos detalhes. Quando a mácula não funciona de maneira correta, experimentamos embaçamento ou escuridão no centro de nossa visão. A degeneração macular afeta tanto a visão de longe como a de perto, podendo dificultar ou impedir algumas atividades, tais como leitura e trabalhos manuais. Embora a degeneração macular reduza a visão central, ela não prejudica a visão lateral, ou periférica, do olho. Por exemplo, uma pessoa afetada pode ver o contorno de um relógio, mas é incapaz de enxergar as horas. A degeneração macular, geralmente, não resulta em cegueira total, pois as pessoas continuam a desfrutar de alguma visão útil, o que lhes proporciona uma relativa independência.

O que provoca a degeneração muscular?

Algumas pessoas idosas desenvolvem a degeneração macular como parte do processo natural de envelhecimento do organismo. Estudos recentes têm mostrado que existe uma predisposição genética para a degeneração macular. Os dois tipos mais comuns de degeneração macular ligada à idade são a ”seca”, também chamada atrófica, e a ”úmida”, também chamada exsudativa.

Degeneração macular ”seca” (atrófica):

A maioria dos portadores de degeneração macular apresenta a forma ”seca”. Ela é provocada por uma alteração degenerativa nos tecidos da mácula, levando a uma perda lenta e gradual da visão central.

Degeneração macular ”úmida” (exsudativa):

A degeneração macular ”úmida” é responsável por cerca de 10% dos casos. Embora seja menos freqüente, ela é potencialmente mais grave que a forma seca, ocorrendo quando vasos sangüíneos anormais se formam no fundo do olho. Esses novos vasos sangüíneos extravasam fluido ou sangue, prejudicando a visão central. A perda de visão nesses casos pode ser rápida e grave.

Quais são os sintomas de degeneração muscular?

Os sintomas da degeneração macular podem ser imperceptíveis nos estágios iniciais. Às vezes, apenas um dos olhos apresenta a baixa de visão, enquanto o outro continua a enxergar bem durante muitos anos. Entretanto, quando ambos os olhos são afetados, a diminuição da visão central pode ser percebida mais precocemente.

Os sintomas mais freqüentes são :

Aparência ”borrada” das palavras;

Área escura ou vazia no centro da visão;

Distorção das linhas retas, como no diagrama abaixo:

Como é o diagnóstico de degeneração muscular?

Muitas pessoas não sabem que tem um problema macular até que a visão fique embaçada e se torna evidente?. Seu oftalmologista pode detectar os primeiros sinais de degeneração da mácula durante um exame que inclui os seguintes passos:

Exame da mácula com oftalmoscópio (um teste de visão, no qual você olha para uma grade parecida com papel quadriculado: às vezes, são realizadas fotografias do fundo de olho, chamadas angiografias, com a finalidade de detectar vasos sangüíneos anormais abaixo da retina. Corantes fluorescentes são injetados na veia e o fundo do olho é fotografado à medida que esses corantes passam pelos vasos sangüíneos. Atualmente, esse exame é feito com um corante chamado Fluoresceína. Em alguns casos, utiliza-se um outro corante, a Indocianina Verde, que requer o uso de aparelhos muito sofisticados, disponíveis apenas em alguns centros médicos avançados. O Instituto da Visão dispõe de aparelhos de última geração para a realização desses exames, que são atualizados ou substituídos anualmente.

Tomografia de Coerência Óptica (OCT): esse exame é muito útil tanto para o diagnóstico como para o acompanhamento do tratamento da Degeneração Macular Relacionada à Idade(DMRI). É um exame não-invasivo, que utiliza feixes de luz e não requer o uso de corantes. O Instituto da Visão é pioneiro no uso dos tomógrafos de última geração na América Latina, e mantém um programa de atualização permanente desses aparelhos.

Como é tratada degeneração muscular?

Há várias modalidades de tratamento para a degeneração macular. Na degeneração macular ”seca”, o uso de uma combinação adequada de vitaminas e sais minerais pode impedir ou retardar a perda da visão.

Já a degeneração macular ”úmida”, nos estágios iniciais, pode ser tratada com raios laser. O tratamento é realizado no consultório, apenas com o uso de colírios anestésicos, e normalmente é indolor. A fotocoagulação a laser emprega um feixe de luz altamente focalizado para ocluir os vasos sangüíneos que lesam a mácula. Esse tratamento é realizado nos casos em que os vasos anormais não afetam o centro da mácula.

Os pacientes que apresentam baixa de visão acentuada poderão ser beneficiados com prescrição de lentes especiais e dispositivos ópticos tais como lupas, telelupas, circuito fechado de TV, entre outros.

Ambliopia

O que é Ambliopia?

A ambliopia acontece quando, por alguma razão, o olho não consegue melhorar a visão mesmo usando a correção (óculos). Outras vezes no estrabismo (olho torto), um dos olhos assume a preferência e enxerga bem e o outro, menos participativo, deixa de desenvolver a capacidade visual plena. Existe também a ambliopia causada por lesões oculares (ulcera de córnea cicatrizada, cicatriz retiniana por toxoplasmose etc.). Portanto a ambliopia é sempre causada por alguma coisa que atrapalha ou prejudica a travessia da luz até a retina. E se a imagem se forma de maneira incorreta na retina, o cérebro não capta com toda a precisão. Se nada for feito, este olho que não tem imagem perfeita é deixado de lado e o outro assume.

É por este motivo que muitas vezes ninguém nota que a criança não está enxergando bem de um olho, pois o outro olho comanda e tudo parece perfeito. (fonteAutor: Dra. Lígia Beatriz Bonotto)

Como tratar?

O tratamento da ambliopia é uma das partes mais importantes,de nada adianta realizar cirurgia tecnicamente perfeita, de catarata ou ptose palpebral por exemplo, se não houver tratamento adequado da ambliopia com prejuízo do bom resultado funcional. O paciente amblíope por toda a vida corre o risco de trauma e perda da visão no olho sadio.
O tratamento da ambliopia é barato, não invasivo e o bom resultado é extremamente gratificante para o médico. A criança também é envolvida, pois a colaboração com o médico, a aderência ao tratamento e o esforço pessoal são determinantes na recuperação da acuidade visual.

O tratamento pode ser resumido na oclusão do olho bom até a recuperação da visão do olho amblíope. Na prática diária, entretanto, não é tão simples, devido aos diversos fatores envolvidos, e o tratamento resulta da mistura de ciência, experiência pessoal e arte.

(FONTE: 1. CRONEMBERG, M. F., PLUT, M. – Ambliopia Anisometrópica. Arq. Bras. Oftal. 58 (6): 443-448, 1995 ; 2. KUSHNER, B. J. – Ambyopia, IN: NELSON, C. B; CLHOUN, J. H; HARLEY, R. D. Pediatric Ophthalmology. 3rd, ed, Philadelphia, W. B. Saunders Co, 1991 p.107. )